28 de agosto, Dia Nacional do Voluntariado

28 de agosto, Dia Nacional do Voluntariado
Grupo Luta Pela Vida comemora e agradece a todos os voluntários que proporcionam momentos mais amenos na vida dos pacientes oncológicos e familiares.

Neste domingo (28), comemoramos o dia nacional do voluntariado. A data instituída pelo governo federal em 1985 é um marco para exaltar o trabalho daqueles que se comprometem com um trabalho ou assumem uma responsabilidade sem a obrigação de fazê-lo.

Para o Grupo Luta Pela Vida essa é uma das comemorações mais importantes do ano. Seu trabalho e suas conquistas não seriam possíveis sem o apoio dos voluntários que tanto dedicam tempo de suas vidas em prol da luta dos pacientes oncológicos.

Historicamente, o trabalho voluntário surgiu como uma forma da sociedade exercer modos de cidadania ativa. Esse trabalho tinha o objetivo de contribuir pelo bem comum, pela saúde, pela organização e pelos cuidados coletivos. Um dos papeis do voluntariado é entender que a comunidade é um ser único onde tudo se relaciona e age de formas interdependentes, ou seja, o bem do próximo também faz parte do bem pessoal.

A pessoa por trás do trabalho

Para Maurícia Carvalho, voluntária no Grupo Luta Pela Vida a cinco anos, o papel de voluntário vai além da ajuda aos pacientes.

“Às vezes a gente se limita porque eles estão em um momento muito frágil. Daí que surge nossa maneira de dar carinho. Os acompanhantes, por exemplo, eles também precisam de apoio. As vezes eles nem querem algum favor ou serviço, precisam apenas serem ouvidos, se sentirem importantes. Sentir que alguém saiu de casa e veio aqui dizer oi para ele, tomar um café, fazer companhia no almoço, parece pouco, mas isso muda o dia daquela pessoa”, conta a voluntária.

 Como explicado por Maurícia, o trabalho do voluntário vai além a atenção ao paciente. Eles entendem que a doença atinge toda a família, e, igualmente, todas essas pessoas precisam de apoio emocional e atenção. Assim, entendem que o trabalho de um voluntário está ligado à doação de energia e criatividade e o que ele recebe em troca são experiências espontâneas. Além disso, o contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidades de vivenciar outras situações e de aprender novas coisas, são importantes para todos.

Relação Voluntário e Paciente

Sobre experiências espontâneas e oportunidades de vivenciar novos sentimentos, Maurícia conta a relação com uma antiga paciente.

“Eu tenho uma paciente que já está de alta, ela é de Romaria, só vem aqui de seis em seis meses. Na época da internação eu guardava gelatina de limão pra ela, porque era o que ajudava ela a ter esperança e isso animava ela, não sei porque, mas eu guardava. Hoje, toda vez que ela vem no hospital ela me traz um tercinho, para agradecer. Então nesse trabalho a gente nunca volta sozinho para casa, a gente sempre recebe um carinho e isso vale a pena”, finaliza.  

Nós do Grupo Luta Pela Vida entendemos que ser voluntário é transmitir amor por meio de cada gesto de vida, de humanização e solidariedade. Aproveitamos o dia nacional do voluntariado agradecer a cada voluntário que está com a gente na luta pela vida dos pacientes oncológicos, cada um de vocês faz parte da nossa história.

Caminhamos sempre, de mãos dadas, Juntos Pela Vida!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima