31 de Maio – Dia Mundial Sem Tabaco

O Dia Mundial Sem Tabaco, 31 de maio, foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. Segundo a OMS, a cada ano, mais de 8 milhões de pessoas morrem devido aos impactos da indústria do tabaco.

Cigarros, tabaco sem fumaça, dispositivos eletrônicos com diferentes essências e aromas. Com um leque variado de opções, o tabagismo se reinventa e continua a despertar o vício em pessoas por todo o mundo.

O tabagismo é responsável direto por mais de 80% dos casos de câncer de pulmão e mais de uma dezena de outros tipos de câncer, como esôfago, estômago, pâncreas, rim, bexiga, boca, laringe, faringe, garganta e mama. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a principal causa de morte evitável no mundo, com mais de 10 mil óbitos por dia.

O cigarro é composto por cerca de 4.700 substâncias tóxicas. Apresenta uma fase particulada (composta pela nicotina e pelo alcatrão) e uma fase gasosa (formada por monóxido de carbono, amônia, dentre outros). Como consequência da combustão do tabaco, essas substâncias tóxicas estão presentes na fumaça de cigarro, cachimbo, charuto, narguilé ou fumo-de-corda. Portanto, não existe forma e quantidade segura de consumo de tabaco.

Bem-estar longe do cigarro

Atitudes saudáveis como manter uma boa alimentação, praticar atividade física, sono adequado e lazer contribuem para melhorar a qualidade de vida.

Segundo a American Cancer Society, os benefícios para quem deixa de fumar são muitos:

•   20 minutos sem fumar: redução da frequência dos batimentos cardíacos e da pressão arterial. A temperatura dos pés e das mãos se eleva.

•    12 horas: o monóxido de carbono atinge níveis normais no sangue.

•    24-48 horas: melhora do olfato e do paladar.

•    2 semanas a 3 meses: melhorada função pulmonar e da circulação sanguínea.

•  1 a 9 meses: redução de tosse, congestão nasal, cansaço, falta de ar e risco de surgimento de infecções respiratórias.

•    1 ano: reduz pela metade o risco de ataque cardíaco.

•    5 anos: redução do risco de desenvolver câncer de boca, garganta, esôfago e bexiga. O risco de um derrame cerebral passa a ser próximo ao de quem nunca fumou.

•   10 anos: o risco de morrer de câncer de pulmão cai pela metade, comparado a quem continua fumando.

•    15 anos: o risco de sofrer um infarto passa a ser próximo ao de quem nunca fumou.

•   20 anos: o risco de desenvolver câncer de pulmão passa a ser próximo ao de quem nunca fumou.

De acordo com o Ministério da Saúde, o enfrentamento ao tabagismo esbarra no fato de que o cigarro é uma droga lícita, com razoável aceitação social, de fácil acesso e custo. Porém, seguir alguns passos pode tornar esse caminho um pouco mais simples.

O ministério aponta dez passos para quem quer parar de fumar:

1 – Tenha determinação

2 – Marque um dia para parar

3 – Corte gatilhos do fumo

4 – Escolha um método

5 – Encontre substitutos saudáveis

6 – Livre-se das lembranças do cigarro

7 – Encontre apoio de amigos e familiares

8 – Escolha a melhor alimentação

9 – Procure apoio médico

10 – Troque experiências em um grupo de apoio

O Grupo Luta Pela Vida, por meio do NUPPPEC (Núcleo de Prevenção, Pesquisa e Projeto), produziu um vídeo sobre o Dia Mundial sem Tabaco. Confira abaixo!

Rolar para cima