A força pela vida de Piettro

Compartilhe:

Esperto, curioso e forte. São essas as características indispensáveis para tentar iniciar uma descrição do pequeno Piettro de 1 ano e dois meses de idade. Para contar sua história, entretanto, é impossível separá-la do laço forte e, ao mesmo tempo, sensível que o mantém unido com sua mãe Laine. Na incrível jornada de cura de Piettro, existe uma mãe que caminha junto com ele com passos fortes e determinados a fazer de tudo pelo filho. 

Foi em uma tarde enquanto a criança dormia, que a família percebeu um caroço na lateral de seu pescoço. Depois de alguns dias internado realizando exames, foi diagnosticado que Piettro havia sido acometido com um neuroblastoma, um tipo de câncer que ataca uma glândula no corpo e é mais recorrente em crianças de zero a dois anos de idade. “O restante da família sempre deu muito apoio, mas eu comecei a questionar o que eu tinha feito de errado, se aquilo era por conta de alguns contratempos durante a gravidez… Eu só pensava que a culpa era minha”, conta Laine. 

Em março de 2020, no mesmo dia em que Piettro foi diagnosticado, ele já iniciou o tratamento de quimioterapia. Para que seu corpo absorvesse melhor a medicação, ele foi entubado e, seguindo as medidas de contágio da COVID-19, poderia receber visitas apenas em dois momentos do dia. Laine conta que este momento foi o pior de todo o processo, “parecia que eu estava abandonando meu filho, foi uma sensação horrível”. Mas, ao contrário do que pensava a mãe, a ligação entre eles continuou mais forte do que nunca. Certa vez, em uma das visitas de Laine, Piettro teve umas complicações com o coma e o médico foi bem específico: “mesmo desacordado, ele consegue sentir sua presença. Das próximas vezes, sugiro que você não converse e nem o toque durante as visitas”, relembra a mãe. 

Durante a entrevista que deu origem a este texto, Piettro só conseguiu se acalmar quando se deitou no colo de sua mãe e foi assim que aconteceu desde 28 de abril deste ano, quando o pequeno recebeu alta da internação depois uma recuperação excelente. A mãe conta que, muito mais do que oferecer um tratamento de qualidade ao seu filho, os profissionais do Hospital souberam respeitar o processo de Piettro, o que, na opinião dela, fez toda a diferença em grande parte de sua recuperação. A outra parte, obviamente, é justificada pela força inexplicável que Piettro tem pela vida. 

Atualmente, o pequeno de 1 ano e dois meses se encontra na fase de manutenção de seu tratamento, aquela que, após bons resultados das anteriores, aplica doses menores de medicação e monitora o caso através de exames. Piettro continua lutando pela sua vida sem ter a consciência disso e Laine continua firme e decidida a acompanhá-lo até onde for necessário. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *