Aceitação, fé e amizade

Compartilhe:

Foram estas três palavras que a mãe do pequeno João Victor, de seis anos, colocou em prática desde o início do tratamento do filho para a cura de um tumor abdominal. Elizângela Guesta acompanhou João em três cirurgias, 14 quimioterapias e 16 radioterapias em um tratamento que durou 11 meses.

Ao lado de outras mães sofreu por se sentir impotente diante da doença, mas conseguiu sorrir e ter esperança em meio à dor, através do apoio de todos do Hospital do Câncer. “O alento veio do sorriso das meninas da limpeza, da generosidade de quem entregava as refeições, do carinho e da paciência das enfermeiras. Veio também da atenção e da troca de informações com os médicos e estagiários, que nos acompanharam e acompanham até hoje”, lembrou.

História de vida - João 2O trabalho dos psicólogos do Hospital do Câncer também foi ressaltado pela mãe de João Victor. “Eles nos trazem palavras que são verdadeiros remédios para nossas angústias e aflições. Atividades que nos fazem descobrir verdadeiros artistas, valores de novas habilidades que não tínhamos noção de que éramos e somos capazes”, contou Elizângela, que lembrou com imenso carinho da companhia dos voluntários. “Eles que chegavam no momento de quimioterapia com bandejas de sorvetes, doces e quitutes. Mas o mais gostoso era a alegria contagiante, o sorriso e a energia de cada um”, disse.

Para os pais que começaram agora a acompanhar os filhos em algum tratamento e também para aqueles que estão há algum tempo, Elizângela dá um recado. “Não desanimem! Eu descobri que aceitar, ter fé e ficar próximos aos amigos são os melhores aliados neste momento. Não desistam, pois, nossa vida é feita de lutas e é preciso vencer cada etapa para depois agradecer a Deus e seguir adiante, vendo nossos filhos crescerem, voltarem à escola e dar novos seguimentos em nossas vidas”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *