Dezembro Laranja: campanha reforça prevenção contra o câncer de pele

Na correria do dia-a-dia, muita gente acaba se esquecendo de manter alguns cuidados básico com a pele – justamente aquela parte do corpo que fica diretamente exposta a tudo que é externo, principalmente aos raios solares. Como consequência, problemas sérios como o câncer de pele podem surgir.

Por isso, ao longo de todo o mês de dezembro diversas ações de conscientização a respeito do câncer de pele são promovidas no Brasil com o intuito de estimular a prevenção e também alertar sobre os principais sinais da doença. É o chamado Dezembro Laranja, criado em 2014 pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A pesquisa “Estimativas 2023 – Incidência de Câncer no Brasil”, realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), evidencia que dos 703 mil novos casos de câncer que devem surgir a cada ano entre 2023 e 2025, o com maior incidência é o de pele não melanoma: cerca de 31,3%. Em 2022, a estimativa do INCA é de que surjam 185 mil novos casos.

Prevalência

O câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos e raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas. Entretanto, com a constante exposição de jovens aos raios solares, a média de idade dos pacientes vem diminuindo.

Pessoas de pele clara, sensíveis à ação dos raios solares, com histórico familiar deste câncer ou com doenças cutâneas prévias são as mais atingidas.

Tipos de câncer de pele

. Carcinoma basocelular: é o tipo mais comum da doença e se desenvolve na área mais profunda da epiderme, com a aparência semelhante à de um eczema, sendo o tipo com maior chance de cura se diagnosticado no início.

. Carcinoma espinocelular: o segundo mais prevalente. Se desenvolve com maior frequência em regiões exposta ao sol, pois se trata de um tipo de câncer de pele que afeta as células escamosas na camada mais superficial da pele.

. Melanoma: é o câncer de pele mais raro, afetando a melanina do corpo humano. Se manifesta visualmente em pintas, manchas em tons amarronzados ou enegrecidos na pele. Ainda que seja o tipo menos prevalente, também possui a maior taxa de mortalidade.

Sintomas

Os principais indicativos da doença geralmente incluem manchas que coçam, descamativas ou que sangram. Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor e feridas que não cicatrizam em 4 semanas também merecem atenção.

O câncer de pele ocorre principalmente nas áreas do corpo mais expostas ao sol, como rosto, pescoço e orelhas. Se não tratado adequadamente, pode destruir essas estruturas.

Prevenção

A principal forma de prevenir o câncer de pele é evitar a exposição direta ao sol, principalmente nos horários em que os raios solares são mais intensos (entre 10h e 16h).

Também é fundamental o uso de filtro solar com fator de proteção solar (FPS) 15 ou mais (a depender da tonalidade da pele), principalmente quando a exposição ao sol é inevitável. O filtro solar deve ser aplicado corretamente, uma vez que o real fator de proteção desses produtos varia com a espessura da camada de creme aplicada, a frequência da aplicação, a perspiração e a exposição à água. A recomendação dos profissionais de saúde é que durante uma exposição ao sol (ida à praia ou clube, por exemplo), se replique o produto a cada duas horas.

Outras dicas são: utilizar óculos de sol com proteção UV, roupas que protegem o corpo e a cabeça, sombrinhas e guarda-sol. Cuide da sua saúde e se perceber qualquer sinal diferente na pele, procure o mais rapidamente o profissional de saúde especialista para confirmar diagnóstico e iniciar o tratamento.

Estamos sempre #JuntosPelaVida!

Rolar para cima