Elza Parziale: conheça a história de umas fundadoras do Grupo Luta Pela Vida

Compartilhe:

dona elza closeO que torna uma pessoa inesquecível? Um bom profissional, um bom amigo? Quem sabe também os atos de bondade e solidariedade? Ao se falar de Elza de Andrade Parziale, provavelmente ela seria uma pessoa que se encaixaria em todas essas respostas.

De família simples, mas muito estudiosa, Dona Elza foi uma importante professora na cidade de Uberlândia. Além de ter lecionado em vários colégios da cidade, também deu aulas na Universidade Federal de Uberlândia. Boa amiga, boa profissional, de personalidade forte, mas com o coração grande e solidário, Dona Elza vivenciou ainda outro momento que marcou e transformou não só a sua vida, mas também de amigos e pacientes com câncer de Uberlândia e região.

Dona Elza foi uma das fundadoras do Grupo Luta Pela Vida, a ONG do Hospital do Câncer, ainda no início dos anos 90. Os amigos e colegas de empreitada, na busca de melhorar o tratamento do câncer em Uberlândia, lembram com carinho da personalidade de Dona Elza e do feitos realizados e vivenciados por ela em prol do Hospital ao longo dos anos.

Segundo a amiga e colega de trabalho no Grupo Luta Pela Vida, Ilma Mundim, a principal característica de Dona Elza era a determinação. “A Elza era uma pessoa determinada, muito marcante. Uma mulher de fibra e ao mesmo tempo muito carinhosa e doce”, revela Ilma. As amigas se conheceram no final da década de 80 e depois disso a amizade só cresceu e se estendeu para ações sociais no Grupo. “Me lembro das atitudes da Elza dentro do Grupo, ainda no início das atividades, de sempre buscar parcerias e estreitar relações com pessoas que pudessem nos ajudar a construir o Hospital do Câncer. Tinha muito respeito pelas decisões dela. Elza era uma mulher de planejamento, que depois nós executávamos”, afirma a amiga.

Clóvis Albuquerque, atual vice-presidente do Grupo Luta Pela Vida, e que cultivou uma amizade de 45 anos com Dona Elza, também só tem recordações positivas da amiga. “A Elza era muito querida e especial. Era uma pessoa muito positiva e que também brigava pelo que acreditava. É uma figura muito saudosa para nós”, afirma Clóvis.

dona elza 2

Além do contato na vida pessoal, o vice-presidente destaca também a importância de Dona Elza para o amadurecimento do Grupo Luta Pela Vida e para a construção do Hospital do Câncer. “Diria que foi uma figura extremamente significativa dentro do Grupo. Ela deu suporte, deu força, deu vida para que ele crescesse. Foi um diferencial termos tido a presença dela para realizar tudo que construímos”, conta. Dona Elza foi a responsável por iniciar a organização do Núcleo de Voluntários no Hospital do Câncer, criando as primeiras normas de conduta dos voluntários junto aos pacientes e toda a dinâmica do trabalho voluntário dentro da instituição de saúde. Além de ter sido a primeira coordenadora geral do Núcleo de Voluntários do Grupo Luta Pela Vida, em 2000, Dona Elza participou de outra importante conquista para os pacientes em tratamento. Ela esteve na criação da equipe de Cuidados Paliativos do Hospital do Câncer, em meados de 2002, vindo a tornar-se a primeira coordenadora da equipe, na qual trabalhou por muitos anos.

No último sábado, aos 84 anos, Dona Elza veio a falecer, entretanto seus feitos e sua história estarão marcados na memória da família, dos amigos e do Hospital do Câncer. A persistência e solidariedade dela e dos demais colegas do Grupo Luta Pela Vida foi o que possibilitou que hoje o Hospital se tornasse referência no tratamento de câncer no interior de Minas, com estrutura de equipamentos e profissionais, além de ambiente hospitalar humanizado. O Grupo Luta Pela Vida e Hospital do Câncer se despedem de Dona Elza com saudades e com um especial agradecimento por tudo que fez.

Mulher de fibra:  o planejamento e a positividade eram marcas registradas de Dona Elza
Mulher de fibra: o planejamento e a positividade eram marcas registradas de Dona Elza
Dona Elza participou das primeiros momentos do Grupo Luta Pela Vida, como nas reuniões de planejamento para construir o Hospital do Câncer em Uberlândia
Dona Elza participou das primeiros momentos do Grupo Luta Pela Vida, como nas reuniões de planejamento para construir o Hospital do Câncer em Uberlândia
Voluntariado: Dona Elza foi a primeira coordenadora do Núcleo de Voluntários. Na foto, ela passa o posto para sua sucessora, Letícia Souza
Voluntariado: Dona Elza foi a primeira coordenadora do Núcleo de Voluntários. Na foto, ela passa o posto para sua sucessora, Letícia Souza
A professora participou de momentos importantes para de ações realizadas para construir o Hospital do Câncer, como durante as rifas de  carros feitas para angariar fundos para a construção do Hospital
A professora participou de momentos importantes de ações realizadas para construir o Hospital do Câncer, como durante as rifas de carros feitas para angariar fundos para a construção do Hospital
Em cada conquista do Hospital do Câncer, Dona Elza também fazia questão de marcar presença
Em cada conquista do Hospital do Câncer, Dona Elza também fazia questão de marcar presença

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *