#EuFaçoParte: mais de 15 anos de luta pela vida, o serviço de Lúcio Cézar

Quando começou a trabalhar no Grupo Luta Pela Vida, há mais de 15 anos atrás, Lúcio ingressou na equipe do telemarketing e em uma das oportunidades que surgiram, quis ir trabalhar na área externa, em contato direto com o doador como mensageiro. Assim começava a longa trajetória de trabalho e gratificação de Lúcio Cézar no Grupo Luta Pela Vida.

Diariamente, Lúcio visita a residência dos doadores que agendam a doação. Na sua visão é um trabalho de muito compromisso, confiança, disciplina e insistência, pois muitas vezes é necessário reagendar a visita e retornar outro dia para confirmar o recebimento. Faz parte do seu trabalho transmitir e ganhar a confiança do doador, demonstrando que o trabalho da instituição é sério, e que cada doação é bem aplicada. Segundo ele, nesses mais de 15 anos até amizade com alguns doadores foi criada, já que eles fazem questão de contar histórias da vida e da relação com o Hospital.

Ele fala com muito orgulho e responsabilidade sobre seu trabalho. “Nós, mensageiros, somos o rosto da instituição nas ruas porque a gente está tête-à-tête com o doador. A nossa imagem é a imagem que ele vê do Hospital. Ser educado, cordial, sempre agradecer e mostrar a importância que tem a doação para o Hospital e para os pacientes”, conta sobre sua missão como mensageiro.

Seu trabalho ganhou ainda mais valor cerca de 3 anos atrás, quando um de seus irmãos precisou ser tratado no Hospital do Câncer em Uberlândia. “Meu irmão teve um tratamento fora do normal. Infelizmente ele veio a falecer, mas foi muito bem cuidado.” Devido o tratamento, os outros irmãos passaram a acompanhar mais o trabalho do Hospital. “Quando chegaram lá e se depararam como era ficaram vislumbrados com todo o trabalho. A humanização, o atendimento, os voluntários, a parte médica então nem se fala”, relembra Lúcio. Dos 9 irmãos, atualmente 7 são doadores, como pessoa física e jurídica.

Hoje, com mais de 15 anos de muita dedicação, Lúcio está muito orgulhoso por ver que a sociedade reconhece e confia em todo o trabalho que é feito pelo Grupo. “Amo o trabalho de mensageiro porque eu acho que é a muito gratificante a gente poder estar indo nas casas e estar buscando os recursos para ajudar o Hospital. Como eu sempre digo é um trabalho de formiguinha que nos enche de orgulho.”

Lúcio é muito grato por fazer parte e conseguir ver tantos frutos sendo colhidos através do seu trabalho que é essencial para que o Grupo Luta Pela Vida seja pelo 4º ano consecutivo uma das 100 melhores ONGs do Brasil.

Rolar para cima