Hospital do Câncer passa a oferecer radioterapia Total Skin

Compartilhe:

A grande filosofia do Hospital do Câncer em Uberlândia é oferecer o melhor atendimento aos seus mais de 7.500 pacientes e, para isso, sempre busca investir em novos procedimentos e equipamentos. Um dos exemplos dessas novidades é que o Hospital do Câncer passa agora a oferecer uma nova modalidade em radioterapia, conhecida como Total Skin (ou TSI, na sigla em inglês).

Apesar de ser novidade no Hospital, a técnica de radioterapia Total Skin começou a ser realizada na década de 60, em Stanford, nos Estados Unidos. Esse tipo de procedimento realiza a irradiação por toda a pele, penetrando poucos milímetros. Essa radioterapia é utilizada para combater tumores da pele que ocupam grandes áreas do corpo, como é o caso dos linfomas cutâneos de células T, como a conhecida micose fungóide e a Síndrome de Sézary.

A radioterapia Total Skin é realizada em aceleradores lineares com feixes de elétrons, em que o paciente fica posicionado em frente ao aparelho, em pé, protegido por duas placas de acrílico para receber a radiação. Apesar de relativamente simples, o procedimento é realizado em poucos centros oncológicos de referência nacional. Em Minas Gerais, o Hospital do Câncer é a única instituição pública a oferecer a radioterapia Total Skin.

Para o radioterapeuta e diretor do Hospital do Câncer, Eurípedes Barra, a decisão em trazer o procedimento para a instituição de saúde é de realmente poder salvar ainda mais vidas. “Entendemos o papel que o Hospital do Câncer tem ao ser um centro de referência no interior de Minas e trouxemos esse tipo de radioterapia para oferecer o melhor para os nossos pacientes, seja qual for o tipo de tumor”, afirma. Ainda segundo Dr. Barra, o Hospital recebe cerca de seis casos por ano de tumores cutâneos em que a radioterapia Total Skin é indicada.

Há cerca de um ano iniciou-se os processos para a implementação da radioterapia Total Skin no Hospital. A estrutura de acrílico que faz parte do procedimento foi construída no próprio Hospital. Após a construção da estrutura, a equipe de cinco médicos e cinco físicos médicos realizou os estudos para viabilizar o procedimento.

O primeiro paciente a ser tratado no Hospital com a radioterapia total skin foi Virmondes Pereira, que luta contra um linfoma cutâneo. “Eu me sinto honrado em poder receber esse tratamento. O atendimento do Hospital do Câncer não podia ser melhor, a atenção e o cuidado deixam a gente mais calmo para enfrentar o tratamento”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *