Mulheres devem esperar 4 semanas após a segunda dose da vacina antiCOVID para realizar mamografia

Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia, mulheres imunizadas contra a COVID-19 que forem realizar mamografia de rotina deverão esperar no mínimo 4 semanas depois da aplicação da segunda dose. Ainda de acordo com a entidade, a reação da vacina pode ser confundida com alguns sinais de câncer de mama, impossibilitando um diagnóstico preciso. 

“Vacinas contém substâncias que estimulam o sistema imunológico a produzir células de defesa. Mas ao produzir essas células, nosso organismo apresenta algumas reações, entre elas o aumento dos linfonodos da axila. Então, quando a paciente faz a mamografia, que faz a imagem da mama e da axila, ela enxerga nódulos aumentados na axila”, explica Dr. Juliano Cunha, médico oncologista do Hospital do Câncer em Uberlândia. A reação na região da mama pode ser percebida por uma questão de proximidade do local em que foi aplicada a vacina, “a reação local é percebida horas após a vacinação, quando o braço fica vermelho, duro e inchado”, afirma a publicação da SBM. 

Dr. Juliano conta que “no consultório, temos visto pacientes assustadas pensando que estão com câncer por enxergar esses aumentos de linfonodos. Mas não são nada além de reações normais da vacina antiCOVID”, e ainda orienta: “Hoje, 15% das pacientes que são imunizadas, apresentam durante 4 semanas, essas inguas reacionais à vacina. A orientação é esperar de 4 a 6 semanas para realizar os exames.” 

Essa reação não é exclusividade dos imunizantes contra o novo coronavírus, vacinas como a do sarampo e a influenza podem apresentar os mesmos sintomas. E ainda valem outros alertas! Nenhuma vacina contra a COVID-19 causa câncer e a imunização é um meio fundamental para vencer a pandemia de forma coletiva.

Rolar para cima