Novembro Azul: cerca de 60% dos casos de câncer de próstata acontecem em homens acima dos 65 anos

O alerta do momento é para a saúde dos homens, que em grande parte ainda resistem em dar atenção ao próprio bem-estar e, assim, prejudicar a figura de indestrutível, forte e que não demanda cuidados. Porém, é necessário rever esta postura, ser mais atento aos sinais do corpo e não resistir à procura de um médico sempre que necessário. A atenção à saúde ainda deve ser intensificada mediante o envelhecimento, principalmente em relação ao câncer de próstata, o segundo tipo de tumor que mais afeta a população masculina, atrás do câncer de pele não melanoma, e que tem a maioria dos casos identificados em homens já na terceira idade. A campanha Novembro Azul fomenta o debate sobre o tema e, visando ampliar a divulgação de informações sobre a doença, especialistas do Hospital do Câncer esclarecem sobre o câncer de próstata.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), somente este ano são estimados que sejam diagnosticados mais de 65 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil, o que corresponde a 29,2% dos tumores incidentes no sexo masculino. Assim como no número de novos casos identificados, a doença também ocupa a segunda posição entre os tipos de câncer mais fatais em homens, atrás apenas do tumor que acomete o pulmão. Em todo o mundo, cerca de 60% dos casos ocorrem em homens a partir dos 65 anos, como comenta o oncologista do Hospital do Câncer em Uberlândia, Dr. Glauco Silveira. “Mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um tumor da terceira idade, já que parte considerável dos casos acontece em homens a partir dos 65 anos. Isso faz com que a idade seja um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença”, explica o oncologista.

Além do envelhecimento, outros fatores aumentam as chances de desenvolvimento do câncer de próstata, como descreve o pesquisador em saúde coletiva do Núcleo de Projetos, Prevenção e Pesquisa em Câncer do Hospital, Felipe Cordero. “Entre os fatores que podem influenciar no risco de um homem ter o câncer de próstata, além da idade, estão o histórico familiar, o excesso de gordura corporal, exposição a algumas substâncias comuns na indústria química, mecânica, entre outros. Entretanto, vale ressaltar que ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que a doença se desenvolverá. Muitas pessoas que possuem um ou mais fatores de risco, nunca terão câncer, enquanto outras com poucos ou nenhum fator conhecido, podem ter a doença. Assim é essencial observar os sinais do corpo, buscar ajuda médica sempre que necessário e monitorar constantemente a saúde, realizando exames de rotina”, destaca o pesquisador.

A preocupação em relação ao câncer de próstata é ainda mais intensa por se tratar de uma doença que tem uma evolução silenciosa em seu início. Há pacientes que não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, podem ser semelhantes a outras neoplasias ou ao crescimento benigno da próstata. “Nas fases iniciais, os sinais que costumam aparecer podem ser confundidos com outras doenças e, assim, serem ignorados pelo homem, como a dificuldade de urinar ou a necessidade mais vezes durante o dia ou à noite. Já quando o tumor está em estágio avançado, pode chegar a provocar dor óssea, sintomas urinários ou até mesmo infecção generalizada ou insuficiência renal. Assim como outros tipos de câncer, a detecção precoce aumenta as chances de um tratamento bem-sucedido. Para isso a qualquer sinal sugestivo da doença, ou mesmo para aquelas pessoas que não apresentem sintomas, mas pertencem a grupos que têm mais chances de desenvolver o tumor, é válido procurar um médico seja já para investigar ou mesmo conversar sobre a necessidade de realizar avaliações de rastreamento”, reforça o pesquisador Felipe.

O diagnóstico do câncer de próstata é feito por biópsia e a indicação para a realização desta avaliação depende do toque retal e do exame de sangue para avaliar a dosagem de PSA (antígeno prostático específico). O receio masculino de realizar o toque retal ainda é uma barreira para a detecção precoce do exame, mas é algo que é fundamental ser superado e, para isso, o oncologista detalha mais sobre a avaliação. “O exame de toque não dói e é muito rápido, durando cerca de 7 a 10 segundos. A realização desta avaliação é essencial para a identificação de nódulos e complementa o resultado do PSA, que costuma ser mais aceito pelos homens, porém são análises que têm finalidades diferentes e os resultados se integram para a conclusão diagnóstica”, ressalta o Dr. Glauco.

Ações para conscientização acontecem durante o Novembro Azul

Ao longo do mês de novembro, a comunidade pode se informar sobre o câncer de próstata, acompanhando as plataformas online do Grupo Luta Pela Vida e Hospital do Câncer em Uberlândia: o canal do Youtube, mídias sociais (Facebook e Instagram @grupolutapelavida @hospcanceruberlandia) e site da instituição hospitaldocancer.org.br. Dentre os conteúdos preparados estão a série de vídeos ‘Prevenção em 1 minuto’, com a proposta de compartilhar informações sobre cuidados em relação à doença em um formato dinâmico.

Também está disponível uma cartilha e um vídeo educativo que trazem mais informações sobre o câncer de próstata. Para ter acesso a cartilha, clique aqui e confira abaixo o vídeo explicativo, que também está disponível no canal do Youtube do Grupo Luta Pela Vida:

Rolar para cima