O amor como ferramenta de luta – a história de Esthér

Esthér é tudo. Doce, amada, alegre e vaidosa ao extremo, não sai de casa sem batom e vestindo suas melhores roupas. O que ela mais gosta de fazer? A pequena de cinco anos não pensa duas vezes: “dançar”. E além de praticar todos os dias, ela faz questão de filmar e postar nas mídias sociais. Em setembro de 2020, a garotinha foi diagnosticada com um câncer, situação que ela vem encarando com uma maturidade inexplicável para sua idade. Esthér realmente é tudo.

“Ela estava com um inchaço no rosto, algo que lembrava uma caxumba”, lembra Ingrid, mãe da criança. Foram dois meses realizando exames para detectar o que era e, após uma biópsia, foi diagnosticado que Esthér estava com câncer. No Hospital do Câncer em Uberlândia, a primeira pergunta da mãe foi se o caso de Esther era reversível, Ingrid conta que a partir da resposta que recebeu, sentiu que a instituição estava abraçando-a e sua filha, “lembro que os médicos me disseram que eles estavam ali para lutar pela vida de minha filha. O Hospital do Câncer me abraçou de uma forma que eu não esperava”.

Ingrid conta que ao receber a notícia do diagnóstico, ela e sua família “perderam o chão”, mas todos se surpreenderam com a maturidade de Esthér: “em momento nenhum ela se deixou abater Não imaginávamos que ela ia se comportar daquela forma”. A mãe conta que ao iniciar as sessões de quimioterapia do Hospital do Câncer, logo após o diagnóstico, ela ia muito feliz para o Hospital, “todos a conhecem como a menina do estilo”.

“A disposição que ela mostra para vencer o câncer me dá forças para seguir em frente. Ela fala pra mim todos os dias ‘Mãe, eu não vou te deixar. Você é a melhor coisa que eu tenho’”, conta Ingrid emocionada. A mãe afirma que durante o tratamento da filha, elas se tornaram muito mais cúmplices e o amor das duas só aumentou. Ao passo que Esthér trilha seu caminho de cura, ela ensina todos a sua volta como fazer isso com toda a alegria e o amor.

Muito mais do que uma história de luta, Esthér nos ensina como o amor é a melhor ferramenta para encarar a vida. No meio de um dos maiores desafios de sua breve, porém alegre vida, seu afeto superou a angústia de sua família e fez a mãe sua maior aliada.

Rolar para cima