Os anos de luta de Anna Clara

São mais de seis anos separando a Anna Clara de cinco anos de idade, recém diagnosticada com câncer e iniciando o tratamento no Hospital do Câncer em Uberlândia para a jovem de 12 anos que só tem gratidão pela instituição. Mesmo com a pouca idade, ela passou a metade da sua vida superando obstáculos na luta contra o câncer e vencendo essa jornada em sua vida. 

“Eu queria agradecer muito as pessoas do Hospital por terem cuidado de mim durante esse tempo que eu estava doente”. É assim que Anna Clara inicia a entrevista quando questionada sobre o que ela lembra do período em que esteve em tratamento. Por mais tímida que tenha sido a resposta, isso diz muito sobre ela. A pouca idade e os olhos sempre atentos às novidades da vida não escondem os anos de luta de Anna Clara e em respeito a eles, a gratidão sempre fala mais alto. 

  “Naquela época ela chorava de mais. A anestesia que ela tomava quando ia iniciar o tratamento a deixava agressiva… Era muito difícil, ela não aceitava nem a mim”, conta Rose, mãe de Anna, “mas aos poucos, com o acolhimento dos profissionais, com o atendimento na brinquedoteca ela foi ficando mais calma”. As duas lembram que o momento mais feliz de Anna dentro do Hospital foi quando a equipe da brinquedoteca conseguiu um computador com jogos educativos, “depois daquele momento, eu não queria ir mais embora. Eu era o centro das atenções”, conta a jovem rindo. 

Atualmente curada da doença, Anna volta ao Hospital uma vez ao ano para realizar o acompanhamento e a manutenção no pós tratamento. “Eu escolho deixar o sofrimento de lado”, ela conta. “Nós ficamos próximas de pessoas que não estão mais aqui. Então, sentimos muita gratidão por tudo que vivemos lá. O Hospital do Câncer foi tudo que a gente precisava naquele momento”. 

O câncer é uma doença que não escolhe quem acomete. A coragem, paciência, entendimento e persistência são características particulares de cada indivíduo que trava sua batalha nessa luta. Há 21 anos, o Hospital do Câncer em Uberlândia se mostra a serviço não só dessas pessoas, como de suas famílias, e também oferece os melhores recursos para o paciente oncológico. 

Rolar para cima